quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Tanto quanto.

Tanto quanto ela. Tão bonita quanto, tão gostosa quanto, tão sei lá quanto qualquer elogio barato. Tantas mentiras lavadas, passadas e guardadas que até parece uma piscina profunda onde não temos boia. Chega disso para mim. A gostosa não sou eu, já sei. Sou apenas a namorada que tapa buracos; as vezes literalmente, as vezes não. Gostosinha, até, nas horas em que dizer isso vale uma retribuição bacana. Mas a gostosa de verdade é outra, qualquer outra. Um nome veio a calhar, mas tanto faz, é só mais uma. Você diz que eu sou tanto quanto, mas que além de tudo no meu caso existe o fator amor. E só piora a situação e nem percebe a infantilidade cruel dos seus atos. Eu não posso ser tanto quanto ninguém, ao menos não para você, porque você não é tanto quanto homem algum; você é o meu amor, o mais bonito, o mais companheiro e o mais tudo do que qualquer outro. Se é para ser só um tanto quanto, prefiro ser nada. Nada machuca menos. Tanto quanto é uma marretada que derruba de joelhos e rala pele, mente e coração. Tanto quanto dói porque é o mesmo que significar um pouquinho só. Ser apenas um gole de uma garrafa inteira ou uma garfada de um prato gostoso de comida de mãe.
Você pede compreensão, mas eu já compreendi tantas coisas na vida que esqueci de mim. De tanto compreender acabei incompreendida. Falta muito em mim que ficou espalhado por aí em páginas arrancadas à força de um livro. E se é isso que você quer, uma metade de tanto quanto, não sei onde vou enfiar minha parte que acreditava que você era diferente. Não posso compreender o que é incompreensível e você não pode pedir que eu aceite ser só isso depois de ter acreditado em muito mais. Cansei de aceitar. Te ouvir chamando outra de gostosa me fez abrir os olhos para isso, como uma pinça erguendo as pálpebras com brutalidade. Um despertador atrasado assustando pela manhã. Fui um tanto quanto minha vida inteira para todo mundo. Achei que para você fosse qualquer coisa mais merecedora de respeito, mas me enganei. Você foi como os outros, deixando claro que sou apenas aquilo que você quer que eu seja e que consegue sem muito esforço porque já sou sua, afinal. Sou o que você tem em mãos, quando poderia voar mais alto e sabe disso. Sou sua tanto quanto qualquer coisa. Só queria ser sua melhor, mas agora vejo que não é possível; sempre serei algo menos do que o ideal e algo mais errado. Algo mais gorda, algo mais confusa, algo mais quebrada, algo mais cheia de defeitos. Algo mais saco de pancadas. Então você chama outra de gostosa e eu fecho os olhos instantaneamente. Eu te amo, sim, mas algumas coisas o amor não sustenta. Entre amor e respeito, escolho respeito, porque ele sempre me faltou. E não é fácil perdoar; perdão nunca é descomplicado e talvez eu não seja uma pessoa assim tão nobre para conseguir esquecer certas mágoas. Tenho saudade e tenho amor, mas, mais do que isso, tenho um adeus entalado nas cordas vocais. Tenho a angústia de não saber o que fazer porque você não está aqui para que eu olhe em seus olhos e procure uma resposta. Ao mesmo tempo, não gostaria de ter você ao meu lado nesse momento para assistir minha humilhação. Você longe é melhor porque mesmo sem te ver eu enxergo aquele momento o dia inteiro. Dessa vez suas desculpas ferem tanto quanto - veja só, que coincidência - suas malditas palavras.
Não sei se ainda poderemos ser nós, porque no antigo "nós" não havia um soco tão forte quebrando meu crânio segundo após segundo. Quando você me beijar vou lembrar disso, pensando que você gostaria de estar encostando seus lábios nos de outra pessoa. Quando me apertar contra si, vou te imaginar delineando meus defeitos e pensando no quanto ela é gostosa e não tem as mesmas gordurinhas que eu. Quando abrir o primeiro botão da minha calça já estarei longe, viajando com milhões de pensamentos soltos e tristes na cabeça. Tudo soa falso agora. Talvez eu me transforme em um robô, como costumava fazer antigamente, e te deixe com esse pedaço automático de mim. Que pisca quando é necessário, abre sorrisos obrigatórios e deita na cama para cumprir um papel. Porque é isso que um tanto quanto faz: não se sobressai e não expressa sentimentos, apenas se resigna a ser exatamente como qualquer outra coisa. 

2 comentários:

Vini disse...

Um tanto quanto, soou infeliz sim. Mas o meu amor por voce nao eh tanto quanto maior que sinto por outra, ate porque isso nao existe.
Voce é minha tudo, você é a minha linda, achei em voce caracteristicas imensuraveis que nao se equiparam a qualquer outra garota ou ser. Porque voce é unica, caio de joelhos percebendo o erro que fiz, mas sou homem para admitir meus erros e dizer que por voce tudo vale a pena.Sinto saudade dos seus afagos, e é errado pensar que ao te beijar eu vou estar pensando em outra, se esse fosse o caso eu ja teria tomado um atitude madura de te largar para nao te ferir. Nao sou igual a ninguém para se comparado com atitudes passadas. Porque eu te amo, porque eu olho nos seus olhos para dizer isso. (E por favor atenda meus telefonemas amor :~~)

Gugu Keller disse...

Tanto quanto a última dor, somente a próxima.
GK

 
Creative Commons License
Vogais Vazias by Josiana Rezzardi is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
Header Image by Colorpiano Illustration